Clipping - Jovens dão novo sentido à palavra crack

O Dia / Rio

23/05/2013


Adolescentes acolhidos na prefeitura devido ao vício ganham destaque em campeonatos de judo no país

Na luta contra o vicio, jovens acolhidos pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social mudaram o sentido da palavra crack através do esporte. Eles estão ganhando destaque em competições no Rio e um deles está classificado para o Campeonato Brasileiro de Judo da Região Sudeste.
Os quatro adolescentes conquistaram medalha de prata e duas de bronze no Campeonato Carioca de Judo, ocorrido no Sport Club Mackenzie, no Méier, dia 11. Eles são abrigados da Casa Viva, unidade de tratamento de jovens usuários de crack e outras drogas. Ao todo, cinco meninos disputaram vagas com atletas de diferentes academias. Um deles, M.R, 13, não conquistou medalha, mas vai competir pelo campeonato brasileiro por ter se classificado em competição anterior em Santa Catarina 'Vou treinar muito para vencer no Brasileiro" disse.
Caso conquiste a vitória na etapa nacional da competição, que acontece nos dias 14 e 16 de junho, em Niterói, M.R. ficará classificado para o mundial, na Austrália.
O adolescente está em reabilitação na unidade desde 2011. Como outros competidores, chegou a trabalhar como Vapor' para o tráfico nas cracolândias do Morro do Cajueiro, em Madureira, e de Manguinhos. Os outros medalhistas foram W.G, 14, (prata na categoria juvenil), e RRN e M.S.S, am¬bos de 13 (bronze, no pré-juvenil). M.R.S, 16, disputou na categoria juvenil para crianças especiais. "Os meninos da Casa Viva já conquistaram 26 medalhas em competições. É uma superação enorme", disse o treinador João Luiz Ferreira de Miranda, ex-auxiliar técnico da Seleção Brasileira de Judô.